24/01/10

NAS NUVENS

Huuummm, que saudades eu já tinha de ir ao cinema!!!
Desta vez a minha escolha recaiu em:
Nas Nuvens
Título original: Up in the Air
Género: Comédia, Drama
Ryan Bingham (George Clooney) é um quarentão com fobia ao compromisso. A sua especialidade é despedir pessoas, reformulando as necessidades empresariais com vista à maximização de recursos. Por isso, está sempre a viajar em trabalho (com uma bagagem minimalista que leva para todo o lado), facto que aproveita para saciar a sua compulsão em coleccionar milhas aéreas. Porém, quando está prestes a atingir o objectivo das dez milhões de milhas como cliente regular, o patrão decide aplicar a Ryan o seu próprio conceito de maximização de recursos e mudar o método de trabalho, fazendo-o cumprir as suas funções através de vídeo-conferência. A ideia de estar confinado a um escritório seria a mais aterradora de toda a sua carreira, não fosse algo ter mudado: Ryan acabou de conhecer Alex Goran (Vera Farmiga) e agora a perspectiva de assentar e começar uma família parece muito menos assustadora.
Baseado no romance homónimo de Walter Kirn, é a terceira longa-metragem de Jason Reitman, depois de "Obrigado por Fumar" (2005) e "Juno" (2008), foi nomeado para seis das principais categorias dos Globos de Ouro: melhores filme dramático, realizador, argumento, actor dramático (Clooney) e duas nomeações na categoria de melhor actriz secundária (Vera Farmiga e Anna Kendrick).
Também vi "Juno" deste mesmo realizador.


George Clooney é mais do que só charme num belíssimo filme sobre a ilusão das aparências…
George Clooney podia não ter feito mais nada na sua vida que bastaria "Nas Nuvens" para perceber como, por trás da fachada de solteirão "bon-vivant" e sedutor, há um actor extraordinariamente inteligente a trabalhar. Porque o filme de Jason Reitman é precisamente sobre a ilusão das aparências, como fica explicado quando a personagem de Clooney, Ryan Bingham, dá por si a transportar nas suas viagens profissionais um recorte em cartão da irmã e do noivo para fotografar por onde for passando - eles não têm dinheiro para viajar e as fotografias tornam-se numa espécie de memória daquilo que se queria fazer mas nunca se fez.
Bingham é executivo de uma empresa de "transição" (eufemismo para "despedimentos") que passa 320 dias em cada ano "na estrada", a viajar de empresa em empresa para licenciar empregados com um toque pessoal e dá palestras motivacionais sobre a bagagem que transportamos.
Entretanto surge uma nova executiva que tem uma ideia que vai revolucionar o mercado das empresas de "transição": despedir à distância, via novas tecnologias.
É uma fita sobre a ilusão das aparências, sobre a sedução de viver nas nuvens - e do choque que pode ser quando o avião aterra. É, já se percebeu, um grandíssimo filme, prova que ainda é possível a Hollywood fazer cinema de primeira classe na melhor linhagem clássica.
Por: Jorge Mourinha (PÚBLICO)

Acho que foi uma bela escolha. Recomendo.

6 comentários:

Pena disse...

Perfeita Amiga:
Deu uma óptima sugestão cinéfila.
Brilhante. Já vi o filme e adorei.
Excelente fim de Domingo.
Tem bom gosto que percepciono em si.
Beijinhos amigos de respeito e admiração pelas suas escolhas fantásticas.
Sempre a lê-la com atenção.

pena

Turmalina disse...

Já anotei a dica...

Pelos caminhos da vida. disse...

Uma boa dica, eu adoro filmes com George Clooney.

Obrigada pela sua visita, espero poder contar mais vezes com ela.

Uma semana de luz.

beijooo.

peciscas disse...

Ui! Quem não vai ao cinema Há séculos sou eu. Falta de tempo? Não. Preguiça? Sei lá. Mas vou ver se emendo, pois, pelos vistos, ando a perder muita coisa boa.

Rosa dos Ventos disse...

Nem me fales numa especialidade dessas... :-((
O meu último filme foi Ágora e gostei bastante.
Recomendo!

Abraço

Parapeito disse...

estava imdecisa entre ir ver este...ou o que fui ver..Homens que matam cabras só com o olhar...
Sem destacados desempenhos, mas com um elenco de grandes nomes do cinema actual, Clooney, Kevin Spacey e Jeff Bridges...é um filme que consegue fugir à comedia convencional,filme inteligente ,sólido e divertido que promete um sorriso do princípio ao fim.
não é, sem dúvida uma comédia para todo o tipo de público. Suscita uma divergência de opinião que tanto pode ser brilhante para uns como uma desilusão para outros, mas eu gostei
Nas nuvens será na proxima vez
Brisas mansas para ti***