30/12/08

PARA TERMINAR 2008

É chegado o momento de todos os balanços...pessoais, profissionais, financeiros, reformulação de desejos, traçar metas e objectivos, num mundo e sociedade cada vez mais injusto, carente de tudo.
É ou parece ser, “apenas” mais uma folha que tiramos do calendário… Pode, no entanto, ser um marco determinante de felicidade… como qualquer outra oportunidade que nos é dada…
É tempo de lembrar… de equacionar… deitar fora o que não prestou e guardar com carinho e determinação o que de melhor vivemos… Qualquer passagem conduz a novas perspectivas… Novos horizontes…
Se algo deve mudar… tem forçosamente que começar a mudar dentro de nós…
Que me recorde apenas tive outro ano idêntico a este, em 2006, mas este foi pior do que o outro, definitivamente pior. A intenção deste post precisamente no final de 2008 tem como finalidade “deitar fora o que não prestou” da minha cabeça, dos meus pensamentos e entrar em 2009 liberta de toda a tristeza e mágoa que me acompanhou durante 2008.
Tudo começou pelo simples facto de me ter inscrito no programa “Novas Oportunidades” para concluir o ensino secundário (12º ano) e ter pedido o artigo de trabalhador-estudante, para um dia por semana, apenas em 10 semanas, sair do trabalho após o almoço e assistir às sessões de grupo que implicava a minha inscrição.Quem me chefia, não achou por bem que eu fosse usufruir de algo em prol do meu benefício pessoal e como a direcção me concedeu o dito artigo, iniciou uma guerra aberta comigo logo em Fevereiro de 2008. Daí em diante, as outras colegas diziam ter “pena” de mim, nas mãos dela. Ninguém consegue imaginar a perseguição que me foi feita diariamente. Conseguiu com isso que eu caísse numa depressão major (aguda), associada a um esgotamento nervoso.
Alguns sintomas e consequências desagradáveis pelas quais passei:
O trabalho deixou de ser agradável. Passei a encarar tudo como uma obrigação e sentia falta de reconhecimento pelo trabalho que fazia.
Questionava a minha competência e comecei a duvidar das minhas próprias capacidades. A auto-confiança diminui drasticamente, passou abaixo de zero.
O entusiasmo e a energia iniciais transformaram-se em aborrecimento e fadiga crónica. Fui atingida pela depressão, solidão, ansiedade e doença física.
Numa fase terminal deste processo, o sentimento dominante é o desespero. Comecei a pensar que o esforço não vale a pena e o pessimismo em relação ao futuro apoderou-se de mim. Só me apetecia demitir-me e desaparecer por uns tempos.
Ninguém deve ter vergonha por passar por isto, é uma doença, não é capricho nem mania, nem controlamos como muita gente acha, que é uma questão de querer. Não é. É assunto sério e que deve ser conhecido, debatido, respeitado.
Agora o que mais custa e me deixa revoltada é isto ter acontecido pela maldade de alguém que usa e abusa do poder que tem, em prol de fazer mal a quem nenhum mal lhe fez.
Destrói-se com isto um ser humano e não há “castigo” para pessoas assim…?
Fui tão humilhada, a minha dignidade enxovalhada, que juro-vos, apetecia-me ir a um programa de televisão contar tudo o que ela me fez passar.
Mas… e as consequências depois?
Bem sei que em muitos outros organismos eram os próprios chefes a incentivar os funcionários a inscrever-se neste programa, quantas pessoas amigas e conhecidas estão neste momento a meio deste processo, mesmo dentro das próprias instituições foi criada uma equipa formadora neste sentido…só a mim havia de calhar esta pouca sorte!!!
Afinal, é um direito que tenho ou não?
Quero pôr um ponto final neste assunto, para iniciar um ano que espero ser bem melhor no aspecto profissional e na saúde.
Neste momento apetece-me, acima de tudo, agradecer…
E há tanto que agradecer…
A Deus… aos que me amam… aos que eu amo… a todos vós…
Agradecer o crescimento, sem perder nunca a perspectiva que crescer pode ser doloroso e que a dor não tem forçosamente que ser algo negativo.
Obrigado a todos que me visitaram ao longo do ano e me incentivaram com os vossos comentários. A todos a minha gratidão por terem tornado este inferno que passei, num paraíso sempre que estava na vossa companhia virtual.
Eu desejo sentir cada vez mais que a vida vale a pena, que os obstáculos que surjam sejam enfrentados como desafios a superar e que tenha a coragem suficiente para seguir em frente.

Termino com um pensamento adequado a esta situação:

A provação vem,
não só para testar o nosso valor,
mas para aumentá-lo;
O carvalho não é apenas testado,
mas enrijecido pelas tempestades.
(Lettie Cowman)

FELIZ ANO 2009

23 comentários:

Paula Raposo disse...

Um excelente post para final de ano. Onde leio esperança que é tão precisa para nos envolvermos na vida...muitos beijos e que 2009 seja, realmente, melhor!

Nuno de Sousa disse...

Feliz ano de 2009 para ti amiga e que ele te traga o que mais desejas principalmente saúde, amor e alegria.
Bjs grandes deste amigo,
Nuno de Sousa

Nilson Barcelli disse...

Normalmente não leio os balanços dos outros, até porque nunca faço os meus (faço-os paraticamente todos os dias...).
Mas este teu balanço é diferente e provocou-me revolta. Porque a pessoa em causa, para além de ser má é incompetente.
Devias aconselhar-te com alguém desde o início do processo de perseguição (não sei se o fizeste).
Para além disso, acho que devias falar com o chefe do chefe e expor a situação.
Pode também haver ilícitos por parte dela e, por isso, com testemunhos credíveis talvez possas apresentar queixa dela no tribunal de trabalho.
Um abraço solidário para ti, sei que vais vencer a guerra, mesmo tendo perdido as batalhas iniciais...
Querida amiga, gostei de te acompanhar em 2008 e espero fazê-lo durante mais alguns anos, pelo menos enquanto tivermos os nossos blogues no ar...
Desejo-te um óptimo 2009.
Beijo.

FERNANDA & POEMAS disse...

Querida Tulipa, como diz o velho ditado "Deus dá-nos a roupa consuante o frio"... Amiga, muita coisa nesta vida está nas nossa mãos... Arregaçar as mangas e caminhar em frente o meu lema... Um grande Abraço de amizade para ti e votos que os teus doentinhos passem melhor.
2009 seja um pouco mais meiguinho...Um abraço de carinho e ternura,
Fernandinha

Zé Povinho disse...

Também eu me despeço de 2008 sem razões para ter saudades ou sequer boas lembranças. Viro a página com algum agrado, e com a esperança de que 2009 seja melhor, e tudo vou fazer para que assim seja.
Abraço do Zé, que se recusa a perder a esperança

joshua disse...

Tudo passa e tudo se supera: bom 2009.

Beijos
joshua

Peter Pan disse...

Doce Amiga:
Um verdadeiro "atentado" ao seu imenso valor e à sua extraordinária pesssoa de bem.
Ignore. Vale o Mundo inteiro.
É linda, sabia?
Um Excelente e maravilhoso 2009 repleto de emoções e sensações belas e maravilhosas, como VOCÊ é.
São pessoas mesquinhas e insensatas, não dê importância.
Beijinhos amigos de respeito imenso.
Totalmente, de acordo com as suas atitudes de encantar e enternecer.
Deslumbrado pelo seu texto de indignação que é a minha, doce amiga.

FEliz Ano Novo de compreensão e amizade

pena(Desculpe comentar como Peter Pan, o sentimento é idêntico como se fosse Pena. OBrigado e desculpe)!

Luis Eme disse...

neste país os direitos são só para alguns...

abraço e um muito melhor 2009, Tulipa.

Eduardo Aleixo disse...

Querida amiga

Gostei do seu post. Como sempre abriu o seu coaração. Sofreu muito. Mas ultrapassou. Vamos em frente. Arregace as mangas. Você é forte. Vamos esquecer. E também perdoar. Lavar as mágoas e transformá-las em amor. Muito amor é o que lhe desejo para 2009. E saúde para si e familiares. Um abraço. Eduardo

looking4good disse...

Força é assim mesmo! Esperança de que as adversidades possam ser um ponto de partida para atingirmos uma plataforma melhor ou superior seja em que nível for. O importante é nunca perdermos a nossa auto-confiança e o respeito por nos próprios (ainda que obviamente os outros nos influenciem ... e de que maneira às vezes injusta!). Amiga, vim aqui deixar expressos os votos que fiz no meu blog Vim também aqui deixar expressos os votos que fiz no meu blog de «Um Feliz Novo Ano de 2009 com sinal vermelho para a pobreza material e espiritual, intriga e guerra, com todas as coisas boas em quantidade q.b. mas bem profuso de sonhos, beijos, sorrisos, flores e .... poesia!».

Ana S. disse...

Oi amiga.
Só quem tem as doenças é que sabe como está. Eu também sofro de ansiedade e ataques de panico e sempre dizem é para eu me controlar... como se isso fosse possivel...
Que o teu 2009 seja repleto de muita saúde, amor e paz!
Beijinhos

São disse...

Que 2009 te seja infinitamente melhor do que 2008.
Também para tua sobrinha e quem mais desejares!

Um grande abraço.

Peter disse...

Não sei que te diga. O nosso pior inimigo "é o oficial do nosso ofício". A situação presente que se vive no nosso país aconselha à prudência, até a engolir sapos, pois ter um emprego, mesmo mau e mal remunerado , acaba por ser um bem a preservar.

Procura valorizar-te, tirar o 12º ano, só tens a ganhar com isso. Aguenta, finge que não ouves e que não é nada contigo.

E diver-te nesta Passagem de Ano pois não auguro nada de bom para 2009.

O Guardião disse...

Passei por este e pelo post anterior, que li com alguma tristeza que me impediu de comentar.
Um novo ano abre-se à nossa frente, e a esperança é muita, tanta quanta a tristeza que nos deixou o ano que findou.
Não podemos desistir, e por isso a esperança ainda existe para 2009.
Cumps

Filoxera disse...

Pensemos pela positiva, acreditando que possa haver boas surpresas neste ano.
Um abraço.

tulipa disse...

TRANSCREVO PARA AQUI O COMENTÁRIO DO AMIGO PAULO, POIS TEM A VER COM ESTE POST:

As relações laborais nem sempre são “um mar de rosas”.
O direito ao bom nome, à ascensão na carreira, ao respeito pela pessoa humana, são “conquistas” consagradas nas leis fundamentais dos Estados democráticos.
Porém, muitas vezes a realidade é bem diferente. Perseguições, assédios (sexual, psicológico), coação (física e psicológica), injurias, ofensas, inveja e afins, fazem parte de certos quotidianos laborais.
As vítimas deste estado de coisas, por vezes, vêem-se abandonadas pelos próprios colegas de trabalho, “trituradas” pelas chefias, desvalorizadas no seu profissionalismo pela censura interesseira dos que os rodeiam.
Os códigos (Código do trabalho, Código penal) tipificam estas situações como infracções disciplinares e crimes. Ainda assim, infelizmente, a justiça é lenta, complexa, parcial para que possa, em tempo útil, estar ao lado das vítimas.
Então, as vitimas vivem, no seu silêncio, o “drama” que de tais condutas resultam.
Há, sempre a possibilidade das vítimas apresentarem queixa no Ministério Publico e/ou em qualquer posto policial, mas a experiencia diz-nos, por vezes, o problema ainda se agrava porque nem sempre é possível provar em tribunal os abusos dos chefes.
É uma triste realidade…
Espero que 2009, lhe possa devolver a auto-estima e a coragem suficientes para dirimir o conflito ora existente .

Paulo

Maria disse...

Sei que és uma mulher de força, tulipa. Sei que vais ultrapassar este dissabor e avançar em 2009, exigindo o cumprimento dos teus direitos!

Bom 2009
Um abraço

Rosa dos Ventos disse...

Cara Túlipa
Tenho um novo computador e perdi muitos dos meus favoritos que só vou repescando à medida que me visitam ou que os enconto noutros blogues.
Percebi pelo post anterior que a Pikena estava no hospital e muito fragilizada.
Não posso muito, mas desejo de todo o coração que ela consiga ultrapassar mais esta situação e que surja um coração para a salvar!

Abraço solidário

Je Vois la Vie en Vert disse...

Querida Túlipa,
Foi bom para ti mandar a tua revolta toda para fora, Também assim recebeste compreensão, apoio e carinho dos teus amigos bloguistas.
Se este desafio de acabar o 12º ano é muito importante para ti, continua em frente e não deixa que a maldade da tua chefe vença !
Já estamos em 2009, espero que entraste neste ano novo com um coração novinho e que possas escrever coisas lindas no livro da vida que tem uma página branca e virgem como escrevo no meu último post.
Muitos beijinhos verdes de esperança para ti e para a Tânia !

gaivota disse...

tu és uma tulipa, és forte!
os melhores votos de tudo de bom para a Tânia (nome da minha filha mais velha) e para ti, um conforto de paz e muita luz, saúde e amor
bom ano, minha amiga
beijinhos

Oris disse...

Sabes, amiga Túlipa, há pessoas que não merecem o cargo para que foram nomeadas e muitas vezes sobe-lhes à cabeça o poder. Se calhar foi o que aconteceu com a tua chefe.
A única maneira de se vencer pessoas como esta é ignorá-las por completo e por isso, nariz levantado e seguir em frente. Nunca devias dar a entender que o comportamento dela te estava a afectar. Sei que é difícil, mas com força de vontade conseguimos.
De maneira nenhuma deves abdicar dos teus direitos, seja lá para o que for. SE CONTINUAVAS A FAZER O TEU TRABALHO COM COMPETÊNCIA, NÃO TINHAS COM QUE TE RALAR.
Fizeste bem em não expôr o assunto fora do teu local de trabalho. Há sempre, depois, uma maneira de distorcer os factos e quem ficava a perder eras tu.
Muita força para este novo ano e segue em frente com os teus projectos.
Oferece uns chocolates à tua chefe. Talvez ela se torne um pouco mais "doce".
rsrsrs

Bom ano para ti.

Beijitos

(Desculpa este testamento...exagerei.....)

Viajante disse...

Posso dar-lhe um abraço?
Aqui vai, cheio de ânimo e de coragem para enfrentar as tempestades.

Tudo de bom!

Meg disse...

Tulipa,
Infelizmente o que se passa contigo não é caso virgem e mal de quem tem o azar de passar por isso.
Assédio moral... mas quem se atreve a fazer queixa? Vale a pena?
E as retaliações?
É um caso complicado, Tulipa, e partilho do conselho do Peter. Tenta abstrair-te, fazeres de conta que nada é contigo e segue em frente. É fácil? Claro que não é e não queria estar no teu lugar, mas acho que é a única saída que tens.
Desejo-te um 2009 melhor, e que consigas ultrapassar esta fase. Saúde para os teus familiares e para ti, a realização de todos os teus desejos.

Um abraço amigo