21/04/10

ESPAÇO AÉREO FECHADO

A erupção de um vulcão a 14 de Abril no Sul da Islândia provocou um caos sem precedentes em diversos aeroportos europeus, que estiveram encerrados durante vários dias, e perdas históricas para as companhias aéreas.
Que a situação era demasiado séria jamais duvidei, mas que se prolongasse por tantos dias é que não pensava.
Eu nunca imaginei que um vulcão na Islândia poderia ameaçar meus planos de viagem.
Pretendo contar isto neste post:
dia 19 foi o dia do meu aniversário e, como é habitual faço umas férias nesta época, para recarregar baterias, bem que estou a precisar.
As cinzas expelidas pelo vulcão Eyjafjallajoekull, na Islândia, forçaram o fecho do espaço aéreo britânico e irlandês também na segunda-feira – dia 19, mas havia sempre a esperança que na 3ª feira as coisas fossem regressando ao normal calmamente…e, estava sempre a actualizar o recebimento de notícias através do site da companhia aérea – nada previa o que aconteceu - quando na madrugada de 3ª feira, eram 3h da manhã, eu no computador, mais uma vez acedo ao site e coloco o nº do meu voo e está lá bem explicito – on time – partida à hora marcada; dirijo-me para o aeroporto na boa, sempre com pensamento positivo para seguir para Dublin, na Irlanda e curtir uns dias de férias culturais.
Final do domingo as notícias eram:
Na Irlanda a situação é mais crítica. Segundo o Indenpendent.ie o espaço aéreo irlandês fica fechado pelo menos até as 18 horas de hoje (horário local). Especialistas em mudanças metereológicas dizem que uma massa de ar do Atlântico deve dispersar as nuvens de cinzas nos próximos dias.
Últimas nostícias do Irish Times mostram que até ontem à noite cerca de 2.000 vôos dentro e fora de Dublin, Cork e Shannon tinham sido cancelados, prejudicando cerca de 230.000 passageiros. Esse número vai aumentar nos próximos dias até que o espaço aéreo irlandês seja reaberto.
Então fica o recado: se você está com viagem marcada ou está voltando de algum lugar e vai passar por Dublin ou outra cidade irlandesa, entre em contacto com sua companhia aérea.
Mas, na 2ª feira havia outras notícias:
É uma espécie de jogo do gato e do rato que os aviões começaram hoje a jogar com a nuvem de cinzas vulcânicas sopradas a partir da Islândia: abrem-se corredores de voo que permitem transportar alguns passageiros daqui para ali durante algumas horas, umas vezes aterrando, outras vezes sobrevoando a determinadas altitudes, umas vezes levando passageiros para sul, outras para norte. O bordado resultante é um gatafunho confuso, e promete continuar a sê-lo nos próximos dias, mas permitiu que se realizassem mais ou menos metade dos voos de um dia normal.
Pelas 8h da manhã quando cheguei ao aeroporto de Lisboa sentei-me e ao meu lado estava um grupo de umas 40 pessoas a receber instruções para o embarque, ouvi e perguntei a uma das senhoras qual era o destino do grupo, ao que me disse – vamos para Menorca, mas agora vamos para Barcelona e depois se verá…e, era o que se ouvia em todos os lados…DEPOIS SE VERÁ!!!
Na mesma fila que eu, estava um passageiro que iria viajar pela Air Berlim, e a solução que lhe arranjaram foi um voo no dia 23 para Estugarda e com paragem em Palma de Maiorca, ao que o dito passageiro aceitou e tudo foi remarcado.
Para mim a solução foi:
outro voo para Dublin dia 27 ou cancelamento da viagem…pois, a decisão foi pela cancelamento da viagem com o reembolso do dinheiro, mas…há sempre um mas…ter que telefonar de imediato para o hotel em Dublin para que não haja custos, a desmarcar as noites no hotel; aqui é que “ainda” não sei se vou ter que “pagar” a 1ª noite, sem sequer ter usado o quarto do referido hotel…veremos como as coisas ficam, mas uma coisa tenho a certeza: caso me exijam o pagamento de algum valor ao hotel, parto para uma reclamação.
Pois se a companhia aérea não me cobra nenhum custo, porque será que o hotel vai cobrar, se a culpa de eu não ter ido é: catástrofe natural – está bem explicito na justificação para o cancelamento da viagem.
Chegou a minha vez…e logo vi que, o meu destino era regressar a casa e nada de viagem.
Outros turistas seriam encaminhados para outros destinos europeus, sobretudo a partir de Barcelona. Os únicos avisos de embarque eram: última chamada para Barcelona e última chamada para Madrid, foi o que ouvi durante toda a manhã de dia 20, no aeroporto de Lisboa.
O clima era de algum optimismo aliado à esperança dos problemas serem resolvidos; não me cruzei com muitas pessoas desesperadas, nem havia desacatos, todos reagiam calmamente às decisões tomadas.
Mas o grande problema, claro, é o curto e médio curso, os voos sobre a Europa — onde a nuvem de cinzas vulcânicas continua a pairar. Destapa por vezes uma ponta da Finlândia aqui, outra ponta da Dinamarca ali, Itália toda durante umas horas, logo mais tapando o norte. Mas a abertura destes corredores aéreos permitiu começar a transportar os passageiros bloqueados.
Os pilotos lançaram um aviso contra “decisões precipitadas” de pôr os aviões no ar devido à pressão das companhias aéreas, abrindo corredores através da nuvem de cinzas vulcânicas, noticiou o Guardian.

A mostrar que a crise pode bem continuar com novos episódios, a ameaça de uma nova baforada de cinzas do vulcão foi avançada precisamente na 3ª feira – dia 20 – dia que eu tinha que embarcar.
Mas a Organização Meteorológica Mundial também adiantou a possibilidade de, lá mais para o fim da semana, a nuvem rumar para o Árctico — talvez libertando os céus europeus das partículas que tornam perigoso o tráfego aéreo.
Acaba por ser preocupante a crescente pressão comercial que as companhias de aviação sofrem, e isto traduz-se na saída de milhares de voos sob condições de aeronavegabilidade duvidosas.
A história da aviação comercial está repleta de acidentes e incidentes que se ficaram a dever, em última análise, à pressão das organizações com vista ao lucro e à sustentação económica, comprometendo (e passando para segundo plano) a segurança das aeronaves e passageiros...
Termino com o aviso que a companhia aérea enviou para os passageiros:
Dear Customer,
Aer Lingus' primary concern throughout the current very difficult situation is the safety and well being of our customers and crew.
Last night we did all possible to restart our operations so that we could cater for the thousands of our customers who have been affected.
Unfortunately the meteorogical information changed at 1:30 am and we had to stand down the planned operation. Throughout the current situation we have been working extremely closely with the relevant authorities and await their go ahead for renewed operations.
We have now taken the decision to cancel our operations for tomorrow April 21 up to 1:00 pm Irish time.
We commit to you that should the air conditions improve and the airspace reopen, we will restart our operations without delay.
We apologise for the significant inconvenience the continuing disruption is causing and ask you to continue to log onto our website for the most up to date information
Yours sincerely,
Christoph Mueller
Chief Executive

12 comentários:

Ana Lúcia Porto disse...

Oi Tulipa,

Obrigada pela sua visita agradável.

Sinto muito por não ir de encontro ao seu mar, renovar as suas energias. Mas não se desgaste, porque ninguém, nenhuma pessoa conseguirá domar a força de um vulcão em erupção (aliás, admiro essa força imbatível da natureza). Portanto, não perca mais tempo, aceite os fatos e viaje para outro mar, descarregando todos esses seus sentimentos. Verá que ele irá lhe acolher bem. Mar é mar, imensidão são com eles. E quando estiver nesse outro mar, feche os seus olhos e imagine-se desfrutando da paisagem que gostaria de ter e não pode e sentirá que é a mesma coisa. Bom, pior do que agora você não ficará...

Poderá não ter sido muito, mas espero ter-lhe confortado de algum modo.

Beijos e MEUS PARABÉNS atrasados...!! Mas de coração, ainda assim...

Valéria Gomes disse...

Olá, minha querida!!!
Lamento pela tua decepção!
Devo concordar com a amiga Ana Lúcia, o mar, é sempre o mar. Quem sabe, a inovação lhe traga contentamento?

Bela tarde para ti!!!

Pena disse...

Oh, Doce Amiga:
Ficou em terra, não viajou, mas é preferível isto a acontecer alguma coisa no ar, sabe?
É necessário todas as cautelas, mesmo que nos prejudiquem.
Excelente, amiga.
Não desanime, há-de arranjar voo.
Beijinhos ao seu encanto.
Sempre a admirá-la no respeito sincero e sério.

pena

MUITO OBRIGADO pela amável visita.
Bem-Haja, linda amiga.
Adorei o seu Post.

anamar disse...

Parabens atrasados, Tulipa...
Espero que esse moral esteja mais elevado...
Abracinho.
:))

Isabel-F. disse...

Somos nada perante as forças da natureza ...
e,
mais vale prevenir, do que voar em circunstâncias menos seguras ...

bjs

João Videira Santos disse...

...E o vulcão mostrou como a natureza tem mais força que o querer do homem...

Nilson Barcelli disse...

É um problema que já afectou muita gente.
Esperemos que a situação não se repita ou se garave de novo.
Beijos, querida amiga.

O Guardião disse...

A segurança das pessoas acima de tudo, ainda que se lamente a decepção de todos os que viram os seus planos furados, e são muitos.
Cumps

Mãe e filho disse...

oi prima, antes de mais quero te desejar um bom aniversario atrasado. Nao me esqueci, apenas tenho estado a trabalhar tanto, e agora o Noah tb esta doentinho e isso tira me tempo pra vir aqui. Pena k a tua viagem deu errado. Pois e, sabes a mae natureza e forte e o ser humano por mt inteligente, ainda nao conseguiu enfrenta-la. Mas ja ja vais estar nas tuas ferias de novo e vais curtir mt. Bjs..

Vieira Calado disse...

Só para dizer, amiga,

que tem - claro! -

a minha autorização.

Só posso agradecer-lhe.

Beijinho

Ana disse...

Oh amiga, acertaste mesmo na data errada :-(
Espero que possas, em breve, retomar o teu projecto! Vais adorar!
Um beijinho com saudades *

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Tulipa, semos fracoa contra a força da Natureza....
Desejo que em breve possas retomar o teu projecto....
Beijos