13/11/11

O OURO LÍQUIDO DE MARROCOS - Um produto de beleza milenar

O OURO LÍQUIDO DE MARROCOS - Um produto de beleza milenar
ÓLEO DE ARGÃO

A argânia é uma árvore sagrada na cultura local e internacionalmente protegida pela UNESCO
Produzido há milhares de anos por mulheres berberes, o óleo de argão está na moda, quer para uso culinário quer estético.
O aroma e o sabor fazem dele um tempero exótico muito apreciados por chefs e a fama dos seus resultados na pele e cabelos já conquistou a indústria da cosmética. Começou a ser utilizado como óleo de cozinha e está entre os principais ingredientes da gastronomia marroquina, que já conquistou chefs por todo o mundo.
Mas o óleo de argão tornou-se num super-herói para a indústria da cosmética porque, para além das suas propriedades hidratantes e nutritivas, é também um ingrediente potente no combate ao envelhecimento





O óleo de argão é extraído do fruto da argânia,
uma árvore disponível apenas no território da reserva de biosfera,
no sul de Marrocos, numa área florestal de 25.900 quilómetros quadrados,
considerada Reserva da Biosfera pela UNESCO.

Esta árvore é sagrada em vários aldeamentos berberes, como acontece em Bouzamma,
na cidade de Essaouira, no sul de Marrocos.
Aí, as mulheres trabalham numa cooperativa dedicada exclusivamente à colheita e à produção do óleo, que depois é vendido a laboratórios de cosmética marroquinos, e daí para fora do país.
É o caso dos laboratórios Azbane que compram o produto às cooperativas femininas berberes e o exportam para 39 países, sendo que os seus principais clientes são spas, hotéis, institutos de beleza e a indústria da cosmética.
Saïd Azbane, director técnico destes laboratórios, refere que o óleo de argão está na moda e que os seus milagres têm interessado cada vez mais a classe média, enquanto consumidor, e várias empresas, que buscam um negócio lucrativo.
“Toda a gente quer usar, comprar, vender.
Mas para se tirar qualquer partido deste óleo, tão caro e raro, primeiro é essencial que seja autêntico, puro.”





Desde que visito MARROCOS que trago este óleo para uso pessoal, não na culinária nem em cosmética, mas como PRODUTO MEDICINAL - disseram-me que faz muito bem às dores nos ossos, JÁ UTILIZEI PARA MASSAGENS quando tenho crises de ciática E QUANDO TENHO CRISES DE TENDINITE, como nos últimos dois dias que ando com fortes dores de tendinite no meu ombro direito...hoje estou muito melhor, só uso este óleo e massajo.

14 comentários:

tulipa disse...

O director técnico coloca três regras de ouro para o bom aproveitamento do produto:

“em primeiro lugar, há que ter a certeza da sua autenticidade.

Segunda regra, ter a certeza de que se paga bem o serviço das mulheres que perdem oito e nove horas para conseguir um litro de óleo, de forma a ajudar essas famílias e, no fundo, a comunidade.

Terceira regra, colocar a quantidade suficiente de óleo de argão nas fórmulas dos produtos.”

A colheita do argão faz-se de Julho a Setembro
e o fruto seca ao sol durante um mês.
A seguir, é descascado usando utensílios rudimentares, batendo-se ao de leve na casca com uma pedra.
O miolo é cozinhado a lume brando numa panela de barro e depois moído.
Passa da água fervida para a fria para arrefecer e depois o miolo é peneirado e decantado.

Finalmente, este é filtrado através de papéis ou tecidos, sendo o óleo engarrafado e rotulado.

tulipa disse...

Segundo o gestor da
Coopérative Feminine Bouzamm (CFB), Ayoub Biballa,
a primeira cooperativa em Marrocos surgiu em 1997, e aquela que gere tem seis anos.

Muitas delas são suportadas por laboratórios de produtos cosméticos nacionais,
e aqui os laboratórios Azbane são um dos bons exemplos,
uma vez que apoiam 170 destas cooperativas.

A produção de óleo de argão acaba por ser, neste caso, o principal ganha-pão de 400 mil famílias, sendo a colheita do argão e a produção do óleo feito por quatro mil mulheres...

Catarina disse...

Compraste?
Abraco

mfc disse...

Desconhecia por completo esta notícia.

Obrigado por a trazeres até nós.
Beijinhos

Baby disse...

Escrevi-te um longo comentário, enviei e deu um erro qualquer, onde terá ido parar?
Logo que possa escreverei de novo, agora tenho uma coisa urgente para atender...
Beijinhos.

Sofá Amarelo disse...

Posso encomendar-te para me trazeres quando lá voltares?

Obrigado. Um beijinho grande e obrigado pela divulgaçã:o)))

O Guardião disse...

Não conhecia de todo este produto. Obrigado pela dica.
Cumps

Nilson Barcelli disse...

Não conhecia.
Interessante.

Será que esse óleo faz bem à nossa crise?
Devias mandar uns frascos para o governo...

Querida amiga, tem uma boa semana.
Beijos.

Vieira Calado disse...

Nunca tinha ouvido falar.

E a árvore, como será?

Beijinho para si.

Dulce B. disse...

Desconhecia por completo este oleo e as suas caracteristicas, obrigada pela partilha deste interessante e util produto, bjitos.

Zé Povinho disse...

Estou a estranhar a ausência nos seus blogues, e espero que esteja tudo bem consigo.
Abraço do Zé

GarçaReal disse...

Não conhecia...Confesso que nunca tinha ouvido falar, mas achei deveras interessante.
Obrigada por trazeres esta informação, pois são sempre conhecimentos importantes.
Bom resto de feriado.

Com amizade

bjgrande do Lago

Manuel Luis disse...

Quarta regra; colocar uns pingos na palma da mão e fazer massagem num corpo relaxado. É compensatório e de uma leveza sem igual.
Podes contactar-me através de email.
Recebe um beijo de carinho

Mirna disse...


Muito obrigado pela informação, porque eu não conhecia esse produto de beleza. Há muitos produtos de beleza naturais e antigos. Eu recomendo que você pergunte a seus avós que conhecem. Minha avó me contou sobre um perfume sedutor, que foi usado por muitos anos. Eu estou tentando fazê-lo, porque ela disse que é muito bom.