23/06/10

BLOGAGEM COLECTIVA - S. JOÃO - com o blog ZAMBEZIANA

Desde que estou em Portugal, de todos os Santos Populares, apenas participei nas Festas de S. João, decorria o ano de 1979, tinha o meu filho 5 aninhos e fomos com uns vizinhos de Maceda - Ovar, para o S. João do Porto. Foi uma noite muito agradável, pela rua abaixo até ao Palácio de Cristal levavamos com o martelinho na cabeça e acabamos comendo sardinhas à 1h da manhã.

De martelo ou alho-porro na mão, os portuenses terão de se desdobrar para conseguir acompanhar todas as actividades preparadas para a próxima noite.
Oiço falar em cascatas, mas não vi nenhuma...também não fui até ao centro da cidade - mas gostaria de ter feito uma visita à Cascata de S. João, em frente à Câmara do Porto, numa noite de folia
.

A minha intenção neste post é mostrar-vos um verdadeiro GUIA DE SOBREVIVÊNCIA, nestes dias de grande reinação. Chegaram os santos populares e com eles foi-se o sossego. Renda-se às tradições e junte-se à festa, seja ela em honra de que santo for. Mas como nem tudo são rosas, ou manjericos, é sempre bom saber uns truques de sobrevivência para que se possa divertir até de manhã sem nenhum tipo de chatices.
Antes de sair de casa - A prevenção para uma noite bem passada começa em casa. Primeiro que tudo, pense na roupa que vai vestir. Lembre-se que está calor, que vai para o meio da confusão, que vai ser uma entre milhares de pessoas e que se vai fartar de andar e dançar. Sendo assim, nada melhor que roupa simples, leve e fresca. Nos pés nem pense em pôr saltos altos ou chinelos! Depois vai passar o tempo todo a queixar-se das bolhas. Por isso não arrisque. Sapatos confortáveis e fechadinhos.
O que levar - Apenas o essencial. Muita gente na rua, já sabe como é… Leve umas notas no bolso, um documento que o identifique.
Combinações antecipadas - É muito provável que na noite da folia tenha alguma dificuldade em usar convenientemente o seu telemóvel. Ou porque há falhas de rede ou porque o barulho é tanto que não se ouve nada do outro lado… Sendo assim, aconselhamos que combine tudo com os seus amigos com alguma antecedência. Marquem um sítio de fácil acesso e uma hora exacta para que a noite possa começar da melhor maneira.
Jantar - Hoje é dia de comer sardinha gorda a pingar na broa! A acompanhar, uma malga de vinho tinto. E o que não faltam são sítios onde possa apreciar estes petiscos mas já sabe que nestes dias os preços são “ligeiramente” inflacionados. Uma forma fácil de poupar alguns trocos e fugir à confusão é juntar-se aos seus amigos e jantarem em casa de um deles. Dividem as despesas, divertem-se a assar sardinhas e jantam descontraidamente, seguindo mais tarde para a festa. Se prefere mesmo jantar na rua, então damos-lhe dois conselhos. Se quiser ir a um restaurante faça reserva para depois não ter que estar horas à espera de uma mesa. Se estiver mesmo imbuído do espírito popular e quiser comer na rua, tome alguma atenção aos euros. É que às vezes basta andar alguns metros para encontrar o mesmo prato a metade do preço.


Transporte - De preferência a pé. Faz-lhe bem, anda muita gente na rua e é mais divertido. Não pegue no carro porque o mais provável é que beba uns copos. E depois há o problema do estacionamento. Por isso, e para evitar chatices, deixe o automóvel na garagem. Também pode ir de autocarro ou de metro, o que só lhe vai facilitar a vida.
A festa - Nunca se esqueça que os santos populares são sinónimo de diversão. Foi para isso que saiu de casa, para se divertir. Se vir confusão, afaste-se, não é nada consigo. Seja simpático, cordial e não abuse da bebida. É meio caminho andado para uma noite bem passada.
Os abusos - A sua sorte é que às noites de Santo António, São João ou São Pedro se segue sempre um feriado. Fique na cama até mais tarde e recupere a energia despendida. Previna-se para o caso de ter exagerado nas “sardinhas”. Tenha à mão um daqueles comprimidos milagrosos (Guronsan, à venda em qualquer farmácia) que aceleram o metabolismo e lhe aliviam o estômago.
Termino com um conselho: DIVIRTA-SE!!!
(imagens e algum texto da net)

10 comentários:

tulipa disse...

S. João, estás a chegar
E vens com ricos manjericos
Pões toda a gente a animar
E há muitos namoricos.

No dia de S. João
Comem-se muitas sardinhas
Lançam-se balões
E fazem-se fogueirinhas.

São João vai começar
Na marcha eu vou contigo
Toda a gente vai dançar
Com o seu bom amigo

Do S. João vais gostar
Olhar o céu com balões
Fogueiras terás que saltar
P'ra ouvir martelos e foliões.

tulipa disse...

São João do Porto, eremita natural do Porto, (séc. IX), viveu na região de Tuy, tendo sido aí sepultado.
No séc. XVII ainda se conservavam, naquela cidade, as sua relíquias, de grande veneração entre os fiéis, que acreditavam que São João os salvaria das febres.
Diz a tradição que a cabeça de São João do Porto foi trazida pela Rainha Mafalda no séc. XII, para a Igreja de São Salvador da Gandra e que parte dessa relíquia teria sido levada para a capela da " Santa Cabeça", na Igreja de Nossa Senhora da Consolação, na Cidade do Porto.
A sua festa é celebrada a 24 de Junho, porque o seu culto foi completamente absorvido pelo de São João Baptista, cujo nascimento ocorreu também no dia 24 de Junho e a quem o povo dedicou forte devoção e grandes festas, mantendo-se ainda hoje muito viva a tradição das fogueiras de São João.
São João do Porto é uma festa que nasce espontaneamente, nada se encontra combinado, a festa vai-se preparando discretamente durante o dia.
O jantar é constituído por sardinhas assadas, batatas cozidas e pimentos ou entrecosto e fêbras de porco grelhados, qualquer dos pratos bem acompanhado de óptimas saladas e regado com vinho verde ou cerveja. Findo o jantar, os grupos de amigos começam a encontrar-se, organizando as rusgas de São João.
Antigamente, as pessoas muniam-se de alhos-porros e molhos de cidreira, actualmente as armas são martelos de plástico, duros e ruidosos que já fazem parte da tradição.
O São João do Porto é uma festa em que ricos e pobres convivem durante toda a noite.
A festa estende-se pelos vários bairros, onde as várias comissões organizadoras mantêm bailes animados até altas horas da madrugada.
No tempo áureo do alho-porro quem chegasse ao Porto, vindo de fora, estranharia o odor espalhado pela cidade: por todo o lado cheirava a alho.

Graça Pereira disse...

Minha Querida
Eu nunca pensaria num post de S.João tão previdente e cauteloso como este... Conselhos importantes e que, talvez, ninguem tenha pensado...
Lembra-me a primeira vez que fui ao S.João levei uns sapatos de salto e...ás tantas, não tive outro remédio senão fazer o resto da noite...descalça!! Aprendi a lição: fato de treino e sapatilhas!!!Foi pena não teres visto as cascatas nas Fontainhas ou junto à Câmara. Mas tambem nos bairros e ruelas onde há festas privadas, é normal encontrares uma cascata à porta. São João é assim...e muito mais. Daqui a pouco vamos lançar o nosso balão...O ano passado, queimámos 3 e só depois conseguimos pôr um no ar...que foi por aí fora!
Para o ano tens de vir cá!

Beijocas pela tua participação.
Graça

Valéria Gomes disse...

Bons festejos para ti!!!

Beijocas!!!

Pena disse...

Linda Amiga:
Uma descrição atenta do maravilhoso e fabuloso S. João.
Parabéns. Possui o magistral encanto de maravilhar, divertir e atitude fascinante como o descreve.
Parabéns. Perfeito S.João, onde não faltam as sardinhas.
Beijinhos mil pela sua ternura numa escrita sublime.
Sempre a respeitá-la e a admirá-la de forma ENORME.

pena

MUITO OBRIGADO pela sua visita de sonho.
Bem-Haja, extraordinária amiga perfeita.
Divirta-se.

Rosa dos Ventos disse...

Não há festa como a do S. João do meu bairro!
Foi uma noite de farra e não foi preciso tomar essas medidas de segurança...
Em cada rosto vemos um vizinho, um amigo, um conhecido...
Vamos pagando à vez o que comemos e bebemos.
As sardinhas estavam uma delícia!
E termina-se a noite com o "café da avó" e as monumentais "filhoses"!

Abraço

O Guardião disse...

O S. João é uma festa emmuitos lugares deste país e tem em comum as sardinhadas (a pingar no pão). Com martelinhos ounão, as sardinhas já cá cantam, e o almoço correu muito bem, pena é que o trabalho veio interromper a festança, mas por cá não foi feriado...
Cumps

rosa dourada/ondina azul disse...

Belo texto, com bons conselhos à mistura!

Diverte-te nestas belas festas dos Santos Populares, com sardinhas no pão e vinho à descrição...

Beijinho,

Duarte disse...

Longe estão essas notadas!
Aqui todo o mundo vai pra praia, bom, os que vão, fazem fogueiras e a desfrutar... carecem do encanto das festas da nossa terra. Pelo menos do São João do Porto que recordo... não voltei, o que me apena... voltarei!

Abraços de vida

bettips disse...

Divertida e educativa a tua mensagem de S. João! Já foi tempo de correr "todas as capelinhas"... agora o barulho e as multidões incomodam-me. Entendo o encanto do deambular pelas ruas, sem nenhum motivo a não ser conviver: isto é que faz do S. João no Porto uma festa única - porque é tudo de improviso. E tive cá família que vive fora e andaram até às 6 da manhã, a pé, da Ribeira à Foz. Como não tivemos espaço para sardinhada este ano, fomos com amigos a uma coisa mais "asseada": o certo é que parecia que nos conhecíamos todos os que apareceram.
Umas das quadras que cantávamos:
"Ai S. João p'ra ver as moças
ai fez uma fonte de prata
mas as moças não vão à água
e S. João todo se mata

E repenica e repenica e repenica
E S. João a suar em bica
E orvalhadas orvalhadas orvalhadas
e viva o rancho das mulheres casadas..."
e etc.
Até sempre e 1 abç