09/05/08

CINEMA: Comédia/Drama/Romance

Ora pois, estou a tentar pôr em dia as minhas idas ao cinema, e nada melhor do que começar com este filme que traz de volta uma das minhas actrizes preferidas: Juliette Binoche.

O Amor e a Vida Real
De Peter Hedges - realizador de "Pieces of April" e co-argumentista de "Era uma vez um Rapaz" - chega-nos uma divertida e inteligente comédia sobre um homem que parece ter sempre um conselho para dar aos outros, mas nem por isso consegue resolver os seus problemas.
Esse homem é Dan Burns (Steve Carrell), um colunista e especialista em aconselhamento familiar, cujos conselhos - baseados basicamente em lugares comuns - são admirados por todos os seus leitores.
O que estes não sabem é que na vida real, Dan também tem muitos problemas para resolver e, ao contrário do que gostaria, muito pouco controle sobre o seu destino.
Desde que enviuvou, há quatro anos, ele ficou com a difícil missão de educar sozinho as suas três filhas precoces. Com medo de todos os perigos que as rodeiam, ele tenta impor-lhes regras extremamente rígidas, tornando-se hiper-protector.
No entanto, a vida não demorará a ensinar-lhe que há muitas coisas que escapam ao nosso controle.
Sem qualquer disponibilidade para ter uma vida amorosa, Dan é surpreendido pela paixão, quando, num encontro casual, conhece Marie (Juliette Binoche).
Ela parece ser tudo aquilo de que Dan precisa.
Apesar de saber que esta tem um namorado, Dan tenta conseguir o seu número de telefone e fica "nas nuvens". Mas, para seu horror, quando chega a casa dos seus pais (John Mahoney e Dianne Wiest), descobre que o namorado de Marie é o seu irmão Mitch (Dane Cook) e que terá que passar todo o fim de semana com os pombinhos.
Como adora o seu irmão - que ainda por cima parece estar decidido a assentar de vez - ele terá de fazer de tudo para reprimir o seus sentimentos. Aliás, mais do que isso, sente-se obrigado a tentar exterminá-los.
O divertimento está assegurado com as desventuras de alguém que está a dar em doido (de forma silenciosa), furioso porque o universo parece querer brincar com ele.
O tom desta história pode parecer demasiado telenovelesco, mas "Dan in real life foi extremamente saudado pela crítica, pela genuinidade e humanidade que revela.
Parte dos louros cabem a Steve Carrell ("Virgem aos 40 Anos", "Evan, O Todo Poderoso"), que surpreende num desempenho inspirado; e a Juliette Binoche.
Links Relacionados:
Ficha Técnica:
Título: «O Amor e a Vida Real»

Realização: Peter Hedges
Elenco: Steve Carell, Juliette Binoche, Dane Cook, Alison Pill, Dianne Wiest, John Mahoney e Amy Ryan
Género: Comédia/Drama/Romance
País: EUA
Ano: 2007
Duração: 98 min.

Há uma cena espectacular em que os dois estão sózinhos a jogar «bowling» e a senhora percebe que o amor anda no ar e apaga quase as luzes todas e põe uma música romântica e eles abraçam-se e depois continuam a jogar à média luz...


16 comentários:

tulipa disse...

Carell stars as Dan Burns, a widower and father to three girls. Jane (Alison Pill), the oldest, is subdued and desperately ready to drive.
Cara (Brittany Robertson) is overly dramatic and a bit too involved in the boy she’s know for three weeks.
Lilly (Marlene Lawston) is the youngest, the cutest, and possibly the smartest of the three.
Dan’s wife has been gone for four years, and his entire family is ready for him to move on.
During a traditional weekend spent at his parent’s vacation home, Dan meets Marie (Juliette Binoche), possibly the woman of his dreams, who turns out to be dating his brother Mitch (Dane Cook).

Just as in most romantic comedies, it is glaringly obvious Mitch and Marie make a horrible match.
Mitch is an exercise guru who loves fast cars and usually fast women.
Marie is a world traveler who’s quiet and extremely intelligent. Dan falls for her in one afternoon over tea and a huge muffin, but they’re both crest-fallen at their predicament.
What makes DAN IN REAL LIFE different from most other rom-coms is that the meant-to-be couple knows they are meant to be.
They aren't hiding secrets from each other; they're hiding from the rest of the family.
Besides the sickeningly perfect family atmosphere, the story is rather realistic.
I know that if I spent a long weekend with my entire family in a small cabin, there is just no way we’d all get along as well as these people, but I do know that I would have a great time making fun of my brother about his new girlfriend or lack thereof.
I also don’t believe I’ve ever found myself naked in a shower with a guy I’m crushing on, but the reactions that both Binoche and Carell have during the scene are so real, I completely accepted the impossibility of it all.

© efeneto disse...

Pressenti o naufrágio
que me deixou só neste deserto:
os seus olhos de mar
já me haviam avisado.

Uma tempestade de palavras
silenciosas como convém
ou ardilosas como lhe convinha,
espalhou o caos no velame
e o barco desgovernou-se
e doeu-me no interior que sou.

****

Uma tempestade de palavras
Para lhe desejar um fim-de-semana
Cheio de sonhos concretizados.
Aproveite e leve uma recordação do
Ø G®¡†ö ðö Þöë†ä
Para colocar junto á nossa amizade.

Deixo um saco de beijos e abraços,
Façam o favor de escolher e de serem felizes.

Andrea disse...

Sounds like a good one.

Filoxera disse...

Boa ideia!

legivel disse...

... não vi ainda mas é uma hipótese para o decurso da próxima semana, até porque o tenho aqui próximo de mim. Neste momento, estou mais virado para "pôr a escrita em dia" no que se refere ao teatro e já tenho bilhetes marcados para Lisboa no Dª. Maria neste próximo fim de semana e no outro.

Beijos e óptimo fim de semana.

Ah! A Binoche, sempre.

looking4good disse...

Gosto muito da Juliette Binoche ... e a «apresentação» aqui do filme deixa .. água na boca. Um bom fim de semana.

Pena disse...

Terna Amiga:
Um profundo sentimento poético lindo e maravilhoso da sua imensa significação cinéfila.
A descrição que faz intensamente e com um preciosismo notável e genial abarca a ternura e beleza do seu sentir/estar/ser.
Parabéns com sinceridade. Adorei!
Uma sinceridade expressa num poder criativo fascinante.
Logo que possa verei o filme.
Também já fui obsecado pelas telas e salas de cinema.
MUITO OBRIGADO pela simpática visita.
Beijinhos amigos de respeito.
Com valiosa estima e consideração pela sua imensa significação adorável e terna.

pena

elvira carvalho disse...

Parece um filme agradável, a proporcionar um bocado bem passado.
Bom fim de semana.
Um abraço

Nilson Barcelli disse...

Gosto da actriz.
Pela tua descrição o filme parece bom.

Bfs, beijinhos.

Eärwen Tulcakelumë disse...

Sempre com boas dicas, por certo é ótima idéia!

Pérolas incandescentes de bons momentos.

Eärwen

jasmimdomeuquintal disse...

Olá
Fui ver My Blueberry Nights De: Wong Kar-wai. Gostei muito, o sabor do amor é variado, mas no fundo todos queriamos que soubesse a "mirtilo"...
um bj

Maria Faia disse...

Olá amiga,

Não gostei do teor do comentário que deixaste no Querubim por isso, venho dizer-te que a vida tem muita coisa linda para ser vivida. Não te deixes abater, não te feches. Sai e disfruta das belezas da natureza, deixa o sol entrar em tua alma pois tu estás VIVA e tens muito caminho para percorrer.
NADA NEM NINGUÉM MERECE QUE TE DEIXES ABATER!
Força amiga. Sabes que, apesar de virtualmente, podes contar com a amizade de muitos(as) amigos(as) que caminham também por cá.

Um grande beijo amigo para ti,

Maria Faia

peciscas disse...

Não tenho ido muito ao cinema.
Mas, quem sabe, eu acabe por seguir a tua sugestão.

Paulo Sempre disse...

«a vida não demorará a ensinar-lhe que há muitas coisas que escapam ao nosso controle».

Na verdade, há imensas coisas que escapam ao controle das nossas emoções. Porém, há, também, muitas coisas que não controlamos por uma questão de honestidade e lealdade...para com os outros.
Nesta conformidade todos "escondem" parte de si....
Há muito tempo que não entro numa sala de cinema.

Até sempre
Paulo

Oris disse...

Fizeste um resumo tão interessante do filme que nos deixaste com água na boca...
És mesmo uma apaixonada por cinema...

Bom domingo.
Beijitos

A Flôr disse...

Aiiii!! como eu queria ter tempo para ir ao cinema... já à algum tempo que não vou!...

Iremos ter oportunidade de irmos as duas ao cinema um dia destes, que tal? No Oeiras Parque, ou no Colombo!... Um dia que os meus dois rapazes estejam com o pai e eu sozinha.. poderemos fazer companhia uma à outra... e serás tu a escolher o filme... pois é uma entendida no assunto! eh eh eheheh

Fofinha, espero que esse teu coraçãozinho esteja com mais luz e cor... que estejas tranquila... eu peço a Deus por Ti linda :)

Abraço à tua sobrinha. Sinto-me culpada por à tanto tempo não lhe fazer uma visita, mas não tenho tido mesmo tempo... mas peço a Deus pela restauração completa da sua saúde... :)

Fica com Deus AMIGA

Flor :-)*