21/05/08

Tarte de mirtilos

O célebre autor chinês traz até nós, um caso amoroso e invulgar em que Norah Jones e Jude Law partilham o seu espaço limitado num café-bar sempre iluminado, unidos pela “tragédia” conjugal, tornam-se rapidamente amigos e confidentes ocupando as noites de histórias acerca das chaves perdidas que a personagem de Law guarda num frasco e do porquê ninguém comer as tartes de mirtilos que ficam imaculadas durante o fecho do estabelecimento.
Depois de algumas noites calmas que previam virar rotina, a personagem de Norah Jones decide mudar a sua vida cada vez mais dependente do dito café e sai de Nova Iorque e embarca numa viagem.
É a grande aposta de Wong Kar Wai e ganha em todos os sentidos.
Norah Jones é a revelação e um espanto quer de desempenho, quer da sua magnífica voz que integra a banda sonora deste filme muito bem interpretado.
Elizabeth é uma mulher desesperada que quer saber por onde anda o namorado. Acaba por descobrir um café onde o conhecem e dirige-se para lá. Ao saber que ele tem outra mulher a sua razão de viver é alterada. Começa a visitar esse café todas as noites para falar com Jeremy, o proprietário, e comer tarte de mirtilo, aquela que continua intacta no fim do dia. Ninguém lhe tocou…
Ao fim de algum tempo, para evitar passar pelo edifício do homem que a trocou, vai viajar pelo país na busca de um carro e uma nova identidade.
Chama a isso atravessar a rua pelo caminho mais longo.
Essa odisseia leva-a a conhecer novas pessoas e formas de encarar a vida que a farão ver o que realmente importa. A única ligação que mantém com o passado são as cartas que escreve a Jeremy.
"My Blueberry Nights" obra de Wong Kar-Wai" e, os seus primeiros e últimos minutos são deliciosos.
Wong Kar-Wai partiu para os Estados Unidos e fez o seu filme mais fácil, mais certinho, narrativamente linear e previsível.
Encanta-nos apenas pela forma como filma o primeiro e o último beijo, que coincidem com o começo e o fim do filme.
…mas aquele beijo com sabor a tarte de mirtilo é um pequeno milagre cinematográfico; a reinvenção dessa autêntica instituição da Sétima Arte, mal tratada nos últimos anos, que é o beijo.
Outro valor apreciável neste filme é a banda sonora (Norah Jones, Cat Power, Ry Cooder, Gustavo Santaolalla...)
O filme tem uma frescura inesperada.
Chega a ser inocente: a sensualidade que ele explora é a do retorno ao amor. Inteiro e intenso outra vez. Fácil. Agradável. Leve.

O que faz o dono de um charmoso café nova-iorquino quando a rapariga adormece, cabeça pousada no balcão e um pedaço de chantilly da tarte de mirtilos esquecido no lábio?


"Norah não falava outra língua senão o inglês e tinha que ficar nos EUA. Foi a única razão porque fizemos o filme nos EUA", garante, por detrás dos óculos escuros que nunca tira. Telefonou a Norah, marcou um encontro, e disse-lhe o que queria. E aqui talvez o melhor seja perceber como é que uma cantora americana, tímida, recebeu a inesperada proposta do realizador chinês num jantar em que, pensava ela, ele lhe iria falar de música:
"Olhou para mim e disse: "então, Norah, quer fazer um filme comigo?".
Eu não sabia o que dizer, não era isso que eu estava à espera".
Por isso, quando as filmagens começaram, ela estava uma pilha de nervos, e ele fazia perguntas sobre a forma como os americanos reagiam nesta ou naquela situação. Depois havia o cafezinho nova-iorquino, Jude Law, desencontros, casais que se separam, chaves abandonadas no café, esses rastos de pessoas que estão sempre a partir e a abandonar as que estão sempre a ficar.
Enfim, havia uma história de Hong Kar-Wai. E havia a América. Ele diz, como quem não dá importância ao assunto: "Em vez de filmarmos tudo em Nova Iorque, porque não arranjar uma desculpa para viajar e conhecer o país?". Por isso não conseguimos saber até que ponto o que ele tinha inicialmente na cabeça era ou não um "road movie". Ele diz que não. Seja onde for que Elizabeth [a personagem de Norah] esteja, o coração está sempre em Nova Iorque".
Mas é um filme sobre ir a sítios.
Ir a sítios na América é viajar muitos quilómetros - é o que faz Elizabeth, primeiro até Memphis, depois até Las Vegas. E viajar assim na paisagem americana é passar por sítios que eu também já passei, na minha viagem de férias à Califórnia, em Outubro de 2005.
Antes de começarem a filmar, deu a Norah Jones um livro de fotografias sobre "diners". Depois pô-la a trabalhar num em Memphis.
Há em Elizabeh um sonambulismo, uma atitude de quem observa a vida mais do que participa nela. Por isso, apesar de percorrer a América, são mais os outros que passam por ela. E os outros são personagens americanas - Arnie (David Strathairn), destruído pelo desgosto depois da mulher o ter deixado; Sue Lynne (Rachel Weisz), a mulher que o deixou, fatal a entrar no bar onde Elizabeth trabalha, para uma última, derradeira, discussão com Arnie, o polícia; Leslie (Natalie Portman), viciada em poker, a viver no risco. O tempo parado, para Jeremy (Jude Law), que espera pelo regresso dela, enquanto revê a velha cassete de uma câmara de vigilância.
Gostei do filme.

21 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

que delícia, ler tudo isto.

obrigada!

beij

Angel of Light disse...

Já ouvi falar deste filme, mas ainda não tive oportunidade de ir ver.

Deixo-te um beijinho cheio de Amor, Paz e Luz!

Maria Clarinda disse...

Uma semana desta li no blog da Jasmindomeuquintal, um post sobre este filme, nesse mesmo dia aproveitando o dia chuvoso e cinzento a� fui eu...adorei o filme, adorei a m�sica, adorei as paisagens, adorei a hist�ria , adorei o beijo com sabor a tarte de Mirtilos...adorei a pureza!
E...adorei o teu post.
Jinhos muitos

Menina do Rio disse...

Adorei a história! Não vi o filme mas vou procurar. tenho certeza que vou gostar

Um beijo pra ti

Deusa Odoya disse...

adorei seu texto.
lindo, estás de parabéns.
muito puro.
felicidades e um bom fim de semana par a você.
te aguardo no meu cantinho.

papagueno disse...

Doce tarte e belo filme!
Bjks

Luis Eme disse...

e eu gostei de te ler...

abraço Tulipa

O Guardião disse...

Porque o cinema é uma paixão, não é mesmo?
Cumps

lua prateada disse...

Sobrevoei nas asas do vento
Parei em teu cantinho
Deixando aqui cair
Todo o meu carinho.

Deixando também a paz
Que de mim emana
E te desejando
Um lindo fim de semana.

Beijinho prateado

SOL

Era uma vez um Girassol disse...

Adorei este post, a descrição da história,a do flme e a dos intervenientes.
Norah Jones, gosto tanto de a ouvir...
Jude Law, uma beleza....
Cinema, a minha perdição...
Tulipa, de flor para flor te digo num abraço: nunca estamos sós aqui neste espaço bloguista. Há encontro de almas, há palavras ternurentas, os afectos estão presentes mesmo que não tenham imagem associada.
Para ti, beijinhos da flor e obrigada pelos parabéns!

jasmimdomeuquintal disse...

E é isso mesmo! gostei quando ela disse dizer adeus, não significa terminar, pode ser um novo recomeço...
Quando vi o filme tinha a sensibilidade à flor da pele, talvez por isso ele me tivesse marcado tanto.
Bom fim de semana

Angel of Light disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Angel of Light disse...

Ando mais recolhida, mas não quis deixar de passar aqui e largar-te um beijinho de Amor, Paz e Luz!

Força... cheia de Luz. Não me esqueço de ti...

د/أبا يحيى وادم disse...

So thanks for you
Very good post
Your friend
Dr_ Ahmed Gamal

Alexandre disse...

Continuo sem ir ao cinema mas disponível para uma deliciosa tarte de mirtilos!

Espero que tudo esteja melhor por aí!

Muitos beijinhos, Tulipa!!!

A Flôr disse...

Querida Túlipa, acho que vou já a correr fazer, ou comprar, uma tarte de mirtilos e chantily e... sentar-me ao balcão de um café... mas espera!!! :( Os donos dos cafés aqui perto de mim, são tão.... pouco sexys! eheheeh... tenho que escolher bem o café! Ah ahahahahha

Querida, estou só a brincar um bocadinho contigo, quero que estejas bem e em paz....

Como diz o nosso amigo Alex... esperamos que tudo esteja melhor por ai!....

Abração enorme em Tu da Flor :-)**

O Guardião disse...

Já vi o filme sim, e gostei. O meu retiro não é reclusão, por isso por vezes lá desço à grande cidade.
Boa semana
Cumps

Angel of Light disse...

Olá querida Tulipa!

Vim deixar-te mais uma luz de força. E quando te digo que "as respostas estão dentro de ti" é porque só nós temos a resolução para os nossos problemas. Ninguém mais as tem... só nós! Tens de procurá-las com calma, sem receios, sem medo... com muito Amor! A mágoa, a raiva, o rancor cegam-nos... e, aí, é realmente difícil enontrá-las...

Fica bem e boa semana.

Beijinhos de Amor, Paz e Luz!

poetaeusou . . . disse...

*
gostoso, enredo,
,
conchinhas,
,
*

Angel of Light disse...

Linda flor, tu és dona de ti própria. Tu comandas o teu estado de espírito, a tua alma, o teu coração, o teu ego (ego, o pior inimigo que temos dentro de nós...). Só se tu permitires é que esse estado de espírito, a tua alma, coração... serão influenciados por terceiros, sejam pessoas ou não. Podes ainda não ter descoberto a solução para o que estás a passar, mas só tu tens a solução, só tu a podes aplicar, caso queiras ou não.

Porque estás assim? Já fizeste essa pergunta? De certeza que sim. Encontraste respostas? E agora: O que tenho de fazer para deixar de estar assim? Olha para dentro de ti. Gostas do que vês? Um ser a sofrer, cheio de mágoa,... raiva... rancor... frágil... De certeza que não gostas. E isso leva-te a onde? Já perguntaste a ti própria? Não te leva a muito sítio, pois não? Leva-te só a esse estado em que estás... Gostas disso? Parece-me que não. Por muito que custe, só tens de mudar de atitude para CONTIGO própria, para com o ser lindo que vive em ti. Só tu podes fazer isso. Será que me estou a fazer entender? Não é fácil, mesmo nada, mas se te comprometeres a fazer isso CONTIGO, vais conseguir. "Estou disposta a mudar.", "Estou disposta a erguer-me."... "Estou disposta a enfrentar tudo isto." Estás frágil agora, mas vais conseguir ganhar forças. Distrai-te. Há tanta coisa que podemos fazer para nos distrairmos! À parte de te comprometeres com o teu Eu a alterar o sentido dessa situação! Aceita com muito Amor o que estás a passar, perdoa-te, perdoas os outros, ... compreende-os, mesmo que não pensem da mesma maneira que a tua. Isto não se faz de um dia para o outro. Leva o seu tempo...

E, atenção, tudo o que estás a passar não é por acaso! Nada acontece por acaso! Tudo tem uma razão de ser, por mais complicada que seja para nós a entendermos. Podes até chamar-me de maluca, mas isto que te está a acontecer é uma oportunidade de aprendizagem. Há sempre uma lição a se tirar das coisas menos boas que passamos nesta vida, aqui e agora.

E tu tens capacidade para percepcionar e aplicar tudo aquilo que disse anteriormente. É só tu QUERERES. Tu és dona de ti própria. Não precisas de ninguém para fazer isso por ti. Não te "consoles" com A ou B que já passou pelo mesmo. Estás só a atrair ainda mais negatividade. Isso não interessa para nada. O ser humano tem muito a mania do "Ah, eu já passei por isso... blá, blá, blá...! Sofri muito, blá, blá, blá...!"

Não digas que estás frágil, ou que não consegues fazer isto ou aquilo só porque estás a passar esta fase menos boa.... Não digas isso. Tu sabes que estás frágil e quanto mais vezes o disseres pior vai ser, isso vai-se interiorizando ainda mais. Diz antes, por exemplo "estou frágil, mas estou a reagir e vou conseguir sair desta mais forte do que entrei"... "Eu sou forte e vou conseguir erguer-me".

Volto-te a dizer: Só tu tens as soluções. Pensa um pouquinho... pensa com o teu Eu, com o teu coração!

E lembra-te: O que nos rodeia é reflexo de nós próprios.

Bom, espero não te ter "baralhado" ainda mais. Não é essa a minha intenção. É somente fazer-te reagir, fazer-te olhar para ti, pois tu tens capacidade para saires dessa... só por ti.

Fica bem e força!

Beijinhos de Amor, Paz e Luz!

Luís Galego disse...

este post está à altura do filme: muita sensibilidade misturada. Gostei de atracar por aqui...