31/05/08

Filme sobre o amor e a audácia de uma mulher

Ontem fui a Lisboa e há que tempos que desejava voltar ao King (sala 2) e assim fiz, fui finalmente ver: Irina Palm.
Já não ia ao King há uns 5 anos, é tal e qual, como sempre, um lugar calmo, muito sossegado, silêncio, éramos 3 mulheres na sala, apenas e só.
Todas iam sózinhas. A solidão prolifera por todos os recantos do planeta, cada vez mais.
Enfim, é o que há…não posso esperar mais!!! Há quem receba um convite de alguém, vá ao cinema e depois continuam o programa com interessantes conversas, passeios pela cidade, terminando numa qualquer esplanada ou bar com uma janela sobre o rio.
Eu adoraria que isso me acontecesse…mas, para quê sonhar?
A realidade é sempre a mesma. Se convido A diz não por isto, se convido B diz não por aquilo, a resposta é sempre Não…
Também gostaria de após o filme saber a opinião de outra pessoa que também o tenha visto e, andando sempre só, fico-me apenas pela minha própria opinião.

Bem, mas agora o que interessa é o filme. Filme grandioso pela forma como nos mostra os desafios da vida e como reagimos a eles em nome do amor por outro ser, encontrando nos mais estranhos comportamentos uma enorme dignidade.
Com uma carreira de 40 anos na música, Marianne Faithfull estreia-se num papel principal em "Irina Palm", um drama britânico do alemão Sam Garbarski, premiado na Berlinale do passado ano.
Maggie (Marianne Faithfull) é uma mulher ainda atormentada pela morte do marido, que se vê a braços com uma terrível tragédia: o seu neto, Ollie (Corey Burke) tem uma grave doença, e só uma viagem à Austrália o impedirá de ter uma morte certa.
Com o filho Tom (Kevin Bishop) e a nora Sarah (Siobhan Hewlett) junta à cama do filho no hospital, Maggie começa a procura de emprego. Apercebendo-se que será recusada em qualquer lado, decide entrar no Sexy World, uma sex-shop no Soho, para responder ao anúncio da necessidade de empregadas. Desfeito o equívoco que este nome comportava, esta avó londrina começa um estranho trabalho para uma mulher da sua idade: dentro de uma recôndita cabine, unida ao exterior por aquilo que se apelida de glory hole, masturba homens de forma incógnita, com vista a receber a quantidade de dinheiro suficiente que possibilite a viagem e internamento do neto naquele país da Oceania.
Cedo, Maggie transforma-se num caso de sucesso: adoptando o nome artístico de Irina Palm, saído da criatividade do dono da loja onde actua, o imigrante Miki (Miki Manojlovic), recebe o montante em falta, não contando que o seu filho descobrisse a estranha profissão que adoptou.
Dividida entre um amor recente por Miki, a necessidade de pagar a dívida, e a vida do neto, Maggie entra numa complicada encruzilhada.

Recebeu uma nomeação de Melhor Actriz nos European Film Awards de 2007.
A tímida Maggie tem um começo atribulado no “Sexy World”, que fica apenas à distância de uma viagem de comboio do seu subúrbio conservador. Luísa, a desembaraçada colega, ajuda-a nos primeiros tempos e as duas desenvolvem uma sincera amizade. O mafioso dono, Miki, rende-se à diligente Maggie, e transforma-a na muito requisitada e muito lucrativa Irina Palm que, por sua vez, prova a si mesma que afinal não é assim tão velha e inútil. A sua vida dupla atrai rapidamente as atenções das vizinhas coscuvilheiras que se metem na sua vida. A determinada mulher mantém-se discreta, escondendo a origem do dinheiro até do filho, que está desconfiado.A descoberta é inevitável e Maggie tem de enfrentar a pior face da hipocrisia provinciana ao mesmo tempo que se questiona. Sempre de cabeça erguida, a graciosa Maggie encontra muito mais do que o amor da família...
Realização:Sam Garbarski
Com: Marianne Faithful, Miki Manojlovic, Kevin Bishop, Siobhan Hewlett, Dorka Gryllus, Jenny Agutter
Site Oficial:
Irina Palm
Género: Drama
Distribuição: Atalanta Filmes
Classificação: M/12
Bélgica/Alem/Luxemb/R.Unido/França, 2006
103 min

17 comentários:

Angel of Light disse...

Passei para te desejar um fim-de-semana tranquilo e deixar-te uma luz de força!

Beijinhos de Amor, Paz e Luz!

Filoxera disse...

Pois eu, com dois filhos pequenos e eléctricos, sinto falta de ir ao cinema de vez em quando...
Beijos.

Zé Povinho disse...

A pesar de muito ocupado, hoje arranjei uma aberta para as visitas, e passei por aqui, onde vi mais uma sugestão de cinema. Quem me dera ter tempo, mas como não há fiquei-me apenas pelo cheirinho aqui postado.
Bom domingo
Abraço do Zé

papagueno disse...

Um filme belíssimo, quem não faria tudo pelos seus filhos e netos?
Bjs

Paula Raposo disse...

Parece-me que será um filme muito interessante. Ando afastada do cinema e eu que gosto tanto. Beijos.

amigona avó e a neta princesa disse...

Já tinha lido a crítica mas ainda não vi...beijos...

Jorge P.G disse...

Tudo aponta para que se trate de um bom filme!

Obrigado pela pista.

Abraço.
Jorge P.G.

Dad disse...

Que bom voltar a encontrá-la. Espero que agora esteja tudo bem consigo. Gostava de um dia poder estar consigo para conversarmos.

A apresentação do livro do Jorge foi muito boa e ele é uma pessoa espectacular!

Foi mesmo pena que não tivesse sabido.

Beijinhos e quando puder contacte.

elvira carvalho disse...

Parece ser um bom filme. Infelizmente eu não vou ao cinema há mais de 2 anos. O tempo não estica mesmo.
Um abraço e uma boa semana

Vera disse...

Tulipa, acabei de conhecer o teu blog e adorei!
Quanto a este filme... fiquei com uma vontade enorme de o ver!

Beijinhos

Angel of Light disse...

Olá flor!

Passei para te deixar uma Luz no teu lindo coração!

Beijinhos de Amor, Paz e Luz!

poetaeusou . . . disse...

*
fiquei
com a pulguinha
na orelha,
,
conchinhas
,
*

Maria Clarinda disse...

Uma das minhas salas de eleição em filmes que não circulam pelos circuitos de outros...
Adorei o filme, uma interpretação expectacular e Shu Aiello esmerou-se na sua produção.
Claro que também eu, tu fariamos o mesmo por um neto ou um filho quando a única maneira de o salvar é esta.
Magistral o filme.E gostei de saber que gostas do King
jinhos mil

Zé Povinho disse...

Passo hoje para desejar um bom fim de semana que se anuncia ensolarado.
Abraço do Zé

Å®t Øf £övë disse...

Tulipa,
Pelo pouco que nos contas, este filme despertou-me muito interesse. Vou tentar vê-lo.
Bom fds.
Bjs.

Vera disse...

Tulipa, no outro dia acabei por não te responder, mas eu tinha visto aquela foto sim, parece que já não está por cá, mas gostei imenso! É uma menina linda, tão linda que pensava que era uma modelo :)
Não tenho muita oportunidade de andar sempre a "blogar" mas virei sempre que puder. E vou já meter os links dos teus blogs na minha "casa".

Beijinhos

Mãe e filho disse...

nos mulheres somos um ser, k nenhum homem, por muito bom que seja conseguira superar. por amor humilhamo-nos e sofremos so para fazer quem amamos sorrir. como mae que sou faria o mesmo pelo meu filho para salvar a sua vida. vou ver este filme, bjs