26/05/08

Procure me amar...


Quando passa mais um mês
Apetece gaivotas a voar
Na areia rebolar…
E o ritmo da marrabenta
Apetece ir dançar com amigas
Envolver-me nas teias da Amizade
Apetece o cheiro da terra molhada
Pela chuva grossa e quente

Apetece brincar, saltar com os meus netos
Correr pelo areal e apanhar conchinhas
Como me pede a Catarina.
Apetece regressar às minhas origens
Naqueles tempos em que a Amizade
Era sincera e a inocência dos actos
E das palavras, me enchiam de Felicidade.

Apetece ir pelo mato fora
Quando fazia acampamentos
Ouvir grilos e tambores na noite de lua cheia
Repousar sob a tenda de campismo
Na aventura daqueles tempos
De África, minha terra.

Apetece ver aquele sol... laranja, fogo,
Sentir a brisa, sons de búzios e sorrisos.
Apetece o sorriso do André
Apetece os meus amigos
De antigamente.
Dizem-me: Tem Fé
E, eu continuo à espera
Mas…eles não aparecem!!!

Mais um mês que passa célere,
tenho tempo e disponibilidade
Mas as Amigas esquivam-se.
Fico com aquele sabor de amêndoa amarga
invadindo a minha alma.
Porque vou pressentindo
qual menina traquinas,
o destino me vai pregando partidas.

E, aqui estou eu
À espera…do quê?
De nada.

31 comentários:

tulipa disse...

Depois de um fim de semana de recolhimento e reflexão,
deixei-me ir dançando com as palavras, divagando...

Às vezes...sou assim!!!

O Guardião disse...

Recordar "aquele sol... laranja,fogo" e os sorrisos...
O sol anda fugido por estas bandas, e não tem as mesmas cores que noutras latitudes. Os amigos são outros, diferentes, mas andam por aí.
Tudo muda com o tempo, nem sempre para melhor é certo, mas temos que viver com o que temos e tirar o melhor partido da vida, encontrando ou fazendo o que nos dê prazer.
Todos somos, às vezes, assim!!
Cumps

Pitanga Doce disse...

Estavas a minha espera? PITANGA DOCE, PRESENTE!! hehehe

Olha, não vi o filme e explico lá em casa, porque não vim cá.

beijos docinhos e não faças biquinho. hehe

Maria disse...

Depois de te ler
deixo-te um abraço apertado...

rosa dourada/ondina azul disse...

Passo para te desejar um lindo e colorido dia :)

Deixo um beijinho,

Nuno de Sousa disse...

E que lindo momento de divagação que aqui nos trouxeste, belo momento em palavras amiga Tulipa.
Espero por ti então no dia 8 na Feira do Livro, era com prazer que te viria por lá amiga.
Bjs
Nuno de Sousa

amigona avó e a neta princesa disse...

Não esperes,olha à tuavolta...tudo fervilha e muita coisa precisa de ti...basta quereres...

Zé Povinho disse...

Divagar é uma forma de desabafo e sempre alivia. Os amigos estão presentes, nem sempre em carne e osso, mas em espírito e em letra de forma, talvez insuficiente mas muito comum nos dias que correm.
Hoje um abraço quentinho como o Sol de África, que o tempo está a pregar partidas.

poetaeusou . . . disse...

*
poesia sentida,
no sentir da poetisa,
,
musica do meu "martinho"
,
respondi no meu . . .
,
arriba, menina,
,
conchinhas "arribadoras", deixo,
,
*

tulipa disse...

Palavras tão doces de um Amigo:

Tulipa

corrigir-te ?
nada disso,
o que é um poema ?
é desenhar as palavras sentidas,
arrumá-las ao nosso critério,
e o teu está maravilhoso,
sentes os amigos, as gaivotas,
essa África nossa . . .
o cheiro do mato,
só um poeta sente o som dos búzios,
búzios atirados á sorte,
virados para o (nosso) norte,
e quem não desespera com a espera,
e se reparares bem para esta casa,
notas um >poetaeusou . . .( . . . )

e a tua musica do “meu Martinho”
cento e cinquenta e sete canções,

O amor não tem cor
O amor não tem idade
O amor não vê cara nem religião
Não faz diferença do rico e do pobre
O amor só precisa de um coração

conchinhas de ternura, deixo-te

MUITO OBRIGADO POETA.

foryou disse...

Sabe bem quando ficamos assim tranquilamente, sem esperar nada, apenas ali para o que acontecer...

1/4 de Fada disse...

Que poema tão bonito e tão repassado de nostalgia...

Oris disse...

Tanta nostalgia que encontrei por aqui.....

A todos nós já o destino pregou partidas, mas seguimos em frente e nem sequer lhe damos confiança....
Esperamos sempre o melhor.

Beijitos

Paulo Sempre disse...

Por vezes encontramos palavras com afectos lá dentro. Palavras que são anologias de nós. Palavras que são "gritos" e "ecos" em perfilados paradoxos que a própria razão desconhece.
Palvras que nos levam a pressentir o quotidiano fora de nós.
As palavras também têm sabores a fel e "amêndoa amarga"....Tudo depende dos desassossegos de quem as "controi" e/ou de quem as lê.

Abraço
Paulo

bettips disse...

Muitos são os solitários...mas que se podem visitar com um pequeno afecto. De (re)conhecidos.
Aqui o deixo, depois de ler a crítica impecável ao filme que não vi mas fiquei com mais vontade de ver. Aliás WKWai é um poeta dos sentimentos, dos biombos sentimentais e o seu "In the mood for love" mais a música, uma das minhas paixões.
Abraço

Paula Raposo disse...

Nós esperamos sempre tudo. E o tudo é relativo. Gosteid e te ler. Beijos.

Angel of Light disse...

N�o vou procurar, mas sim amar-te SEMPRE, porque n�s merecemos ser amados SEMPRE, sejamos quem formos, estejamos onde estiveres, fa�amos o que fizermos! For�a!

Beijinhos de Amor, Paz e Luz!

Papoila disse...

Ol� Tulipa!
Que beleza este correr de palavras, essa saudade se Sol, aquele perfume da terra m�e molhada pela chuva, a areia e o tambor que toca a marrabenta... ai estou aqui tamb�m a divagar...
Beijos

Célia Shanti Priya disse...

Tulipa
Procure encontrar a paz e o silencio no seu coração.

Namastê

Célia Prem

Pitanga Doce disse...

TULIPA, estás a te deixar levar de novo por aquela sensação de tristeza. Então? O quê é isso? Não mudaste tudo? Não disseste que ias recomeçar de uma maneira só tua? Lembras? Foi em abril!
DE ABRIL EM DIANTE!!!!! Então? Levanta daí que estou a brigar contigo! Ai ai ai...

beijinhos, Tulipa.

ShiningMoon disse...

Querida Tulipa,
fica aqui, não a promessa, mas a certeza de que irás receber um daqueles porta-chaves...
Concordo em pleno com a Pitanga Doce! Não te deixes levar pela tristeza novamente!!
Bjitos.

Baby disse...

Lindo,lindo este teu poema tecido com palavras feitas de saudade, ternura, amor, amizade, esperança, sei lá... está lá um pouquinho de tudo que esse teu coraçao alberga!
Dá notícias.
Beijos.

Eärwen Tulcakelumë disse...

Estás a espera do encontro com a tua luz! Belo poema minha amiga.
Se puderes, gostaria do teu e-mail.

Pérolas incandescentes de carinho amigo.

Eärwen

papagueno disse...

O tempo passa num repente e junho já aí está a porta. Só o clima é que não combina.
Um beijo

poeta_silente disse...

Muitas vezes somos os amigos sumidos e precisamos de um sacolejo para nos darmos conta disto.
Obrigada.
Deus te abençoe.
Beijos ternos
Miriam

Alexandre disse...

Gostei desta tua dança das palavras, da tua divagação - vislumbro ao fundo uma luzinha... acho que é o princípio de novos tempos... assim seja!!!

Muitos beijinhos, Tulipa, e que refloresça de novo e depressa!!!

mundo azul disse...

Por vezes, precisamos ir atrás dos pássaros, ao invés de esperar que eles pousem em nossas mãos...
É um belo e melancólico poema!
Beijos e muita luz!!!

elvira carvalho disse...

Gostei do poema, mas acho-o cheio de tristeza, desilusão e até um tanto depressivo.
Que se passa tulipa? Está doente? triste?
Desejo que o sol ilumine a sua vida, e lhe encha a alma de alegria.
Um abraço e bom fim de semana

© Piedade Araújo Sol disse...

algum desalento neste poema, mas está bem escrito e cheio de sentimento.

sempre esperamos algo, mas temos de ser nós a querer esperar algo.

beij

Maria Clarinda disse...

E aqui estou de novo!!!!Lindo este teu poema que me tocou também de uma maneira super especial!!!
Eu também tenho nostalgia da n/Africa da qual sou a quarta geração......
Estamos aqui...
Adorei todo o calor sentido no teu poema.

Força...muita força, e que tal passearmos à beira mar?É que aqui também há mar, há conchas....
Jinhos muitos

Mãe e filho disse...

kts momentos me senti assim? muitos, mas sabes o que estas a espera? de ser feliz, sem pensar k precisas dos outros para o ser. tu mesma fazes a tua felicidade. se-o. bjs